Nascido em Rio do Sul/SC, Rafael Pereira dos Santos possui história de superação e força de vontade semelhante a outros milhares de jovens que tentam concretizar o sonho de jogar futebol profissionalmente. Desde muito cedo, a partir de 2001, passou a lidar com a distância de casa, ausência de familiares e amigos, além da desconfiança. Quem hoje vê o atleta aos 32 anos, não imagina como era franzino. Muito magro, passava por seguidos trabalhos físicos para ganhar massa e se consolidar nas categorias de base do Joinville. O auxílio recebido no Tricolor catarinense foi essencial para seu desenvolvimento.

“A distância da família dificultava até porque eu era muito novo. Deixar de passar datas especiais com amigos, família e conhecidos sempre foi muito complicado. Eu ficava pensativo e em dúvida sobre que rumo queria seguir, mas meu pai sempre me passava boas mensagens que me motivavam e não me deixaram desistir”.

As primeiras chances no profissional ainda foram com a camisa do JEC. Apesar de não ter permanecido por lá muito tempo, continuou traçando a carreira em seu Estado. Passou pela Chapecoense, Juventus e Metropolitano. Amadureceu e consolidou-se como atleta para depois partir para desafios mais distantes. Foi para o Botafogo após a disputa do Campeonato Catarinense de 2007, quando foi o melhor zagueiro da competição. Mesmo com curta passagem no Alvinegro, pois logo acertou sua transferência para a Romênia, vivenciou a rotina de um clube da Série A do Brasileirão.

Seu destino na Europa foi a desconhecida cidade de Mediaş, quatro horas distante da capital Bucareste. Vivenciou o rigoroso inverno romeno e morou por quase dois anos no Velho Continente. Apresentou bom futebol na Liga Nacional e nas Copas do país. Quando estava prestes a renovar o contrato, problemas de saúde o fizeram retornar ao Brasil.

“Era bem complicado jogar lá. O frio intenso atrapalhava os treinamentos e algumas diferenças culturais também tinham que ser superadas. Fora isso, foi uma experiência importante para o enriquecimento da minha carreira e também pessoalmente. Convivi com atletas de outros lugares do Mundo e pude me desenvolver ainda mais taticamente”.

No retorno ao Brasil, um Clube já conhecido. O Metropolitano mais uma vez incorporou Rafael Pereira para a disputa do Estadual. Repetindo o bom nível de atuação de outrora, recebeu propostas interessantes para a sequência da temporada de 2010. Escolheu pelo projeto apresentado defender o Juventude e, a partir da assinatura de contrato, começou a marcar seu nome na história do Clube. Em Caxias do Sul, o defensor venceu duas Copas RS e foi indicado como melhor zagueiro do Gauchão de 2013, temporada que acredita ter sido sua melhor até hoje.

“Naquele ano fiz boas apresentações, mas o importante foi o resultado coletivo. Fomos vice-campeões do segundo turno do Campeonato Gaúcho. Eu fui indicado como um dos melhores zagueiros da competição. Na sequência conseguimos o acesso da Série D à C do Brasileiro. Ainda naquele ano fui transferido para o Sport Recife e alcançamos mais um objetivo. Subimos o Leão para a Primeira Divisão do futebol nacional”.

Seu espírito de liderança e boa conduta com demais companheiros sempre foram outro diferencial. Para momentos bons e ruins vividos nas agremiações, sucessivamente representou o elenco em coletivas e pronunciamentos oficiais.

No final de 2014 firmou contrato com o Criciúma para a reta final da Série A nacional. Apesar das dificuldades enfrentadas no time do Heriberto Hülse e o pouco tempo no Clube, o zagueiro manteve sequência de jogos como titular sob comando do técnico Gilmar Dal Pozzo, que o indicou. Foram dez meses no Tigre, mostrando sua polivalência, tanto na defesa, como mais à frente, de volante, até partir para o Náutico.

Na capital pernambucana flertou com a Série A mais uma vez. No Timbu, novamente com Gilmar Dal Pozzo, foi um dos pilares da defesa atuando como zagueiro e lateral direito. Sua chegada coincidiu com o aumento de produção do grupo e a promoção à Série A não veio por detalhes. Sua raça e dedicação com a camiseta que está vestindo sempre será a mesma dos tempos em que batalhava para realizar seu sonho em Joinville.

Ficha técnica
Rafael Pereira dos Santos
Data de nascimento: 18/11/1984
Local: Rio do Sul/SC
Altura: 183cm
Clube atual: Ceará/CE

Clubes
– Joinville/SC (2001-2004)
– Chapecoense/SC (2005)
– Juventus/SC (2006)
– Metropolitano/SC (2007)
– Botafogo/RJ (2007)
– Gaz Metan/ROM (2008/2009)
– Metropolitano/SC (2010)
– Juventude/RS (2010-2013)
– Sport/PE (2013)
– Criciúma/SC (2014)
– Náutico/PE (2015-2016)

Títulos
– Campeonato Cearense (2017)
– Copa RS (2012)
– Copa RS (2011)

Conquistas Pessoais
– Melhor zagueiro da Série B do Brasileiro (2016)
– Acesso à Série A do Brasileiro (2013)
– Acesso à Série C do Brasileiro (2013)
– 3º melhor zagueiro do Campeonato Gaúcho (2013)
– Melhor zagueiro do Campeonato Catarinense (2007)

Foto: Bruno Aragão/Ceará SC

  • Share:

FALE CONOSCO

A Aguante está de portas abertas para recebê-lo.