Uma carreira pautada pelo talento e dedicação máxima à instituição que representa. Luiz Silva Filho, natural de Nova Alvorada do Sul/MS, é um dos poucos casos do futebol contemporâneo de fidelidade a um clube. Com pouco tempo de categoria de base, foram apenas dois anos de formação no Mirassol/SP, o arqueiro foi contratado pelo São Caetano/SP para integrar o elenco profissional, ainda com idade de júnior. A facilidade e frieza com que exercia uma função ingrata no esporte chamava a atenção de quem via o jovem atleta em treinamentos e partidas.

Logo no primeiro ano como profissional, em 2002, viveu uma experiência única na história do Azulão: o vice-campeonato da Copa Libertadores da América consagrou um elenco desacreditado, mas com muita qualidade. A primeira oportunidade em uma partida oficial, no entanto, só veio no ano seguinte, em duelo válido pelo Campeonato Brasileiro – Série A. O São Caetano recebeu o Atlético/PR e ficou no 0 a 0, muito pelas mãos do jovem goleiro, que passara a ganhar mais minutos em campo.

Em 2004, o São Caetano fez bonito no Campeonato Paulista. Em uma final sem os “grandes” do Estado, a equipe comandada por Muricy Ramalho ficou com o título e encantou quem acompanhou as partidas do Clube do ABC. Com a forte concorrência dentro do grupo, tendo Silvio Luiz como uma das referências do elenco, Luiz aproveitava as brechas dadas. Neste ano participou de três partidas válidas pela primeira divisão do Campeonato Brasileiro e sofreu apenas um gol.

A titularidade veio dois anos mais tarde. Luiz era o responsável por manter a meta segura como havia sido nas temporadas anteriores. A confiança nele depositada não foi em vão. Sob comando de Dorival Júnior, fixou-se como líder do grupo e, em 2007, sagrou-se vice-campeão paulista perdendo a final para o poderoso time do Santos. O primeiro campeonato que disputou como titular foi a Série B do Campeonato Brasileiro, uma vez que o Azulão havia sido rebaixado no ano anterior.

Com o passar do tempo e as experiências adquiridas, Luiz se tornava um verdadeiro líder no São Caetano e sua postura dentro de campo ratificavam tal situação. Foi com este espírito e a qualidade acima da média que se tornou capitão em 2008 e só passou a faixa em definitivo em 2014, quando se transferiu para o Criciúma por empréstimo, após 321 partidas oficiais e o reconhecimento de uma comunidade inteira.

“Tenho respeito muito grande pelo São Caetano porque foi onde me criei. Com o aval do presidente do São Caetano tive a chance de vir para o Criciúma buscar meu espaço novamente. Após 12 anos no futebol profissional realizei minha primeira transferência para outra equipe. Hoje tenho um carinho enorme e respeito pelos dois clubes e pelas torcidas que sempre me respeitaram”, recordou.

Com três temporadas completas pelo Criciúma, Luiz conquistou também o moral que tinha em sua antiga casa. O respeito dos demais colegas e da torcida já foi adquirido. Seu jeito tranquilo e calmo reflete na postura durante as concentrações e períodos de folga. Estar com a família e amigos é a companhia perfeita para conhecer as praias da região e aproveitar os raros momentos de lazer. Além disso, Luiz tem verdadeira adoração por carros antigos. Em sua coleção constam um Opala, um Dodge Dart e um Maverick. Raramente eles são vistos nas ruas de Criciúma, pois são customizados pelo próprio atleta. A ligação com carros vem de longa data: ainda quando estava no São Caetano, abriu uma oficina mecânica na cidade, tamanha a paixão por veículos e pelas peças automotivas.

Ficha técnica
Luiz Silva Filho
Data de nascimento: 07/02/1983
Local: Nova Alvorada do Sul/MS
Altura: 189cm
Clube atual: Criciúma/SC

Clubes
– São Caetano/SP (2002-2014)

Título
– Campeonato Paulista (2004)

Conquistas pessoais
– Top da Bola/SC – 3º melhor goleiro do Campeonato Catarinense (2016)
– Vice-Campeão – Campeonato Paulista (2007)
– Vice-Campeão – Copa Libertadores da América (2002)

Foto: Fernando Ribeiro/Criciúma EC

  • Share:

FALE CONOSCO

A Aguante está de portas abertas para recebê-lo.