Desde novo a velocidade e o drible caracterizaram a trajetória do lateral-esquerdo Edson Carlos Santos Lima Junior, o ‘Capa’, apelido dado por um vizinho ainda na infância. Baiano de Serrinha, município distante cerca de 170 quilômetros de Salvador, o adolescente deixou sua comunidade cedo para buscar o sucesso na cidade grande. Aos 16 anos rumou para São Paulo, a fim de realizar um teste no Palmeiras.

“Sou de um bairro bem humilde, aí eu jogava pela Escolinha do Euzebio, um senhor que faz um trabalho para os jovens da minha cidade no CSU (Centro Social Urbano). Todo ano tem o Campeonato Serrinhense, disputei algumas vezes pelo time do bairro, até que cheguei na Seleção local. Daí teve o Intermunicipal que ficamos em segundo lugar. Nisto um empresário de lá me viu e levou para o Palmeiras”, recorda.

Aprovado no Palestra Itália, atuou durante um ano e meio nas categorias de base, entre os juvenis e juniores, onde conquistou o Paulistão Sub-20 em 2009. Seu destaque permitiu um contato para atuar no Braga, em Portugal. Porém, em terras lusitanas, por conta de situações alheias à sua vontade, necessitou retornar ao Brasil pouco tempo depois.

Ainda com idade para as divisões inferiores, desembarcou na portuária cidade de Itajaí, para defender as cores do Marcílio Dias, em 2011. No ano seguinte, assinou o primeiro contrato profissional e disputou o Campeonato Catarinense, além da Copa Santa Catarina. Após ser emprestado ao Grêmio Osasco, retornou ao Clube em 2013. Mantendo as boas aparições, passou pelo Atlético de Ibirama e o Guarani da Palhoça, quando foi eleito melhor lateral esquerdo da Divisão de Acesso de 2014, conquistando vaga para a elite.

Depois de cinco anos no mesmo Estado – com curto período na Série A2 Paulista – foi contratado pelo Operário Ferroviário para o Brasileiro da Série D. O time perdeu para o Remo no jogo decisivo a garantia de ascender de divisão. Mesmo assim, o lateral manteve as seguras atuações que lhe fizeram retornar à Grande Florianópolis. Bastante rodado pelo interior do Brasil, apesar da idade, alimenta o sonho de galgar novos degraus e jogar nos chamados grandes da Série A. Capacidade técnica e força de vontade não lhe faltam.

Solteiro, porém em relacionamento sério, dez anos mais velho que seu irmão, traz da educação dos seus pais a referência para a cabeça no lugar.

“Meus pais sempre fizeram de tudo para que não nos faltasse o básico. Graças a Deus incentivavam muito minhas escolhas, ensinavam o bom caminho e conseguiram criar eu e meu irmão. São meus orgulhos”, finaliza.

Após mais uma vez destacar-se em uma edição de Campeonato Catarinense, sendo um dos melhores de sua posição, ficou mais de um mês parado por imbróglios burocráticos, até que foi apresentado no Avaí, para a disputa da Série B.

Ficha técnica
Edson Carlos Santos Lima Junior (Capa)
Data de nascimento: 07/12/1992
Local: Serrinha/BA
Altura: 171cm
Clube atual: Avaí/SC

Clubes
– Palmeiras/SP (2009-2010)*
– Braga/POR (2011)*
– Marcílio Dias/SC (2011-2012)
– Grêmio Osasco/SP (2013)
– Marcílio Dias/SC (2013)
– Atlético-IB/SC (2014)
– Guarani/SC (2014)
– Atlético-IB/SC (2015)
– Operário Ferroviário/PR (2015)
– Guarani/SC (2016)

* Categorias de base

Títulos
– Campeonato Catarinense – Divisão Especial (2013)
– Campeonato Paulista Sub-20 (2009)

Conquistas pessoais
– Acesso para a Série A do Campeonato Brasileiro (2016)
– Troféu Top da Bola/SC –2° Melhor lateral-esquerdo do Campeonato Catarinense (2016)
– Troféu Top da Bola/SC – Melhor lateral-esquerdo da Divisão Especial (2014)
– Acesso para a Série A do Campeonato Catarinense (2014)
– Vice-campeão da Copa Santa Catarina (2012)

  • Share:

FALE CONOSCO

A Aguante está de portas abertas para recebê-lo.