Foto: Diego Carvalho/Aguante

Caique Valdívia

Natural do Rio de Janeiro, o meia Caique Ferreira da Silva Leite carrega no sangue a busca por um lugar ao Sol. Seus primeiros chutes foram na comunidade da Prainha, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Incentivado pelo pai e pelos tios que o acompanhavam nos jogos, já despertava a curiosidade natural de quem o assistia. Mas começou mesmo a se destacar na carreira longe de seu Estado. Jovens ainda, seus pais deixaram o Nordeste para tentar a vida no Sudeste. Quando o menino completou 15 anos fez o processo inverso com a família e rumou à terra dos genitores. Oriundo da base do ASA, no interior alagoano, o atleta logo recebeu o apelido de Valdívia, pela semelhança física com o jogador chileno. Dentro de campo, demonstrou seu talento e foi apontado como um dos mais promissores dos últimos tempos no Clube.

Logo em seu primeiro Estadual como profissional, em 2011, sagrou-se campeão, mas ainda com poucas oportunidades. Lançado pelo treinador Vica (José Luís Mauro), sempre recorda das dicas em seu início. No ano seguinte, titular, foi eleito a revelação da competição no vice-campeonato, novamente pelo Alvinegro. Depois das boas atuações nos confrontos regionais e nos Campeonatos Brasileiros da Série B em 2012 e 2013, quando chegou a ser sondado pelo São Paulo, recebeu uma proposta do futebol sul-coreano. Desta forma, rumou ao desconhecido continente asiático para defender as cores do Seongnam Ilhwa.

De volta ao Brasil no começo de 2015, mais uma vez seu destino foi Arapiraca. Lá, despertou interesse do Cruzeiro. Contratado pelo time mineiro com o pensamento de futuro, foi cedido ao Paysandu para adquirir experiência. Porém, uma lesão o impediu de dar sequência no time paraense e teve escassas chances para demonstrar sua capacidade.

Já em 2016 iniciou de forma animadora. Emprestado ao Náutico, logo em sua estreia, no ‘Clássico das Emoções’, diante do Santa Cruz, fez a jogada que resultou no primeiro gol da partida, ao lançar o companheiro que sofreu penalidade máxima. Com personalidade e características de dribles rápidos, se destaca também pela capacidade de condução de bola de forma ambidestra, assim como as belas assistências aos companheiros. Foi o principal “garçom” de Lúcio Maranhão, por exemplo, autor de 40 gols em 2012. Tais facilidades o tornam um camisa 10 ofensivo. Para a sequência da temporada, com as cores do Criciúma, agrega qualidade ao elenco carvoeiro.

Religioso, na vida pessoal é um cidadão família. Casado, costuma frequentar os cultos evangélicos em momentos de folga, ler a Bíblia e assistir filmes que levam a Palavra de Deus. Para frente, filhos estão nos planos deste carioca com alma alagoana.

Ficha técnica
Caique Ferreira da Silva Leite
Data de nascimento: 23/10/1992
Local: Rio de Janeiro/RJ
Altura: 180cm
Clube atual: Criciúma/SC

Clubes
– ASA/AL (2011-2014)
– Seongnam Ilhwa/KOR (2014)
– ASA/AL (2015)
– Cruzeiro/MG (2015)
– Paysandu/PA (2015)
– Náutico/PE (2016)

Títulos
– Korean FA Cup (2014)
– Campeonato Alagoano (2011)

Conquistas pessoais
– Vice-campeão Alagoano (2015)
– Revelação do Campeonato Alagoano (2012)
– Vice-campeão Alagoano (2012)

  • Share:

FALE CONOSCO

A Aguante está de portas abertas para recebê-lo.